Pular para o conteúdo principal

Postagens

Pés no chão e coração nas nuvens

Postagens recentes

João e seus dias de sol

Ele é carismático, prestativo e muito querido pelos colegas e moradores do Sinfonia. João Alvori Fernandes de Lima, 54 anos, tem sorriso fácil e carrega consigo o amor pela profissão. Responsável pelo setor de manutenção do residencial, seu João é o famoso faz tudo!

Presta socorro da configuração da antena de TV a troca de encanamento se for necessário. Querido pelos moradores, seu João afirma que o carinho é reflexo da atenção que destina a eles. “Desde que trabalho aqui procurei ouvir e entender as necessidades dos moradores, penso que eu não posso mudar, se eu deixar de dar atenção  eles vão me cobrar por isso”,  afirma referindo-se aos idosos que gostam de conversar com o profissional.

Mais velho de uma família com cinco irmãs, revela que as brincadeiras das meninas nunca o agradaram. “Gostava mesmo era de jogar bolita”, recorda.

Assim como para muitos brasileiros, para João o trabalho chegou cedo. Aos 11 anos ele auxiliava o pai no segmento da construção civil, o pai chegou a or…

Um jovem que "veste a camisa"

Ele tem 24 anos, não dispensa uma música para relaxar e é extremamente focado. Guilherme Porcher de Souza é natural de Novo Hamburgo e está radiante com a conquista do primeiro carro, fruto do seu trabalho no Sinfonia.
O jovem esporpiano dribla a pouca idade e literalmente veste a camisa da empresa quando o assunto é cumprir com suas tarefas, que envolvem responsabilidade de gente grande!
Souza é um dos responsáveis pelas demandas administrativas do residencial, como pagamento de notas, compras, revisão de contratos, admissões e desligamentos. Com um “pezinho” na formatura, na expectativa pelo tão sonhado diploma que recebe em janeiro de 2020, o graduando em Gestão Comercial sonha grande. “Me sinto muito bem trabalhando aqui, me vejo galgando degraus para um crescimento profissional e mesmo após a formatura, não penso em parar de estudar, pretendo me desenvolver em muitas outras áreas. O próximo passo será aprimorar a capacidade de comunicação, percebo que sou um pouco retraído e des…

Paixão no nome e na profissão

Ela é sorridente, calma e caprichosa. Maria Floraci Santos Paixão não carrega apenas no sobrenome a amorosidade: por onde passa, exala carisma. 
Natural de Campo Novo, região noroeste do estado, sua trajetória no Grupo Sinfonia iniciou em Porto Alegre, no residencial Menino Deus, tempos depois, foi transferida para o Sinfonia, em Novo Hamburgo, onde já possui lugar cativo.
Atualmente a camareira de 52 anos mora no bairro Campina, em São Leopoldo e com dedicação e carinho, empresta seus cuidados na limpeza e organização dos apartamentos localizados na antiga capital nacional do calçado (Novo Hamburgo).
Conhece os moradores pelo nome e divide com eles suas preciosas recordações. “Gosto muito dos idosos e sinto que gostam de mim”, revela orgulhosa ao recordar os inúmeros elogios que recebe no dia a dia. 
Exigência é mais uma das características dessa escorpiana agitada que gosta de tudo muito bem organizado e limpo. “Tenho muita energia, vou fazer 53 anos, mas me sinto com 40”, afirma. 
Sobre…

Uma calma que faz bem

A tranquilidade da jovem enfermeira Luana Suélen Budtinger, 26 anos, acalma qualquer coração.
A jovem Ivotiense formada pela Universidade de Caxias do Sul é só ternura quando se fala em trabalhar com idosos.
Enfermeira no Sinfonia desde julho deste ano, Luana relata verdadeira paixão pela profissão, ainda mais tendo a oportunidade de trabalhar com a terceira idade. “Eu gosto muito de idosos, é uma paixão e pra mim estar perto deles é uma alegria”

A jovem já teve experiências do tipo na cidade natal, ao trabalhar no hospital de Ivoti, pra ela o contato com os idosos traz lembranças amorosas dos avós que vê pouco por morarem longe.
Quando questionada sobre a escolha pela área da saúde, Luana é rápida e direta: "Escolhi ser enfermeira porque sempre gostei da área da saúde. A afinidade é tanta que digo que foi a enfermagem que me escolheu", afirma.


Se para muitos cuidar de pessoas pode ser desgastante, para a jovem entusiasta a sensação é completamente outra: “Poder cuidar de t…

Amor: o verdadeiro tempero da vida

Poucos minutos de conversa já revelam uma mulher forte e sensível, que não esconde um amor gigante pelas panelas. O tempero, típico de mãe e vó, como ela mesma afirma, se desenvolveu no decorrer dos quase 40 anos de experiência como cozinheira. Elvira Custódio da Silva, 56 anos, é uma catarinense apaixonada pelo trabalho que, com muito fogo no fogão, ajudou na criação de 5 filhos e 1 filho-neto, referência que faz ao neto Anderson, de 19 anos, que cria como filho, desde o seu nascimento.
Responsável pela equipe da cozinha do Sinfonia, Elvira acredita que o principal tempero da vida é o amor. “Sou muito feliz em poder cozinhar para os idosos, quando estou com eles sinto a presença da minha mãe”, revela.
E foi com a mãe que o gosto pelas panelas nasceu. Com um sorriso no rosto, recorda da responsabilidade que tinha, quando ainda era apenas uma menina, de cuidar do feijão e do peso da panela de polenta que precisava ser virada. O tempo passou e o que era uma obrigação se transformou em p…

Agradeço por ter que trabalhar

Brilhonos olhos e sorriso solto. Suélen Flesch, 22 anos, é do tipo de profissional que encanta por seu desempenho e carinho em tudo que faz. Há 9 meses no Sinfonia, exerce o cargo de recepcionista com entusiasmo e paixão.
Acadêmica de psicologia na Unisinos, a aquariana nascida em São Leopoldo projeta um futuro profissional voltado ao convívio com idosos, pois garante aprender muito com cada um deles.
Quando o assunto é o clima entre os colegas, não esconde seu entusiasmo pelos amigos que conquistou. “ Gosto muito dos meus colegas de trabalho, tudo fica mais fácil quando se trabalha com pessoas queridas. Nos dias que estou triste, no Sinfonia encontro minha alegria. Agradeço por ter que trabalhar”!